domingo , 16 dezembro 2018
Home / Notícias / Educação / Enem 2018 exigiu mais conceitos e menos cálculos, dizem professores da rede

Enem 2018 exigiu mais conceitos e menos cálculos, dizem professores da rede

Um ‘Enem Raiz’, questões mais conceituais, interpretativas e exigência de menos cálculos. Assim os professores da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) avaliaram o segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, realizado neste domingo, 11/11. Pelo Facebook, em live transmitida na página oficial da Secretaria logo após o final do Exame, os professores Francisco Rocha (Física), Diego Rodrigues (Química), Murilo Ramos (Biologia) e Marcão (Matemática), acompanhados do superintendente de Gestão Pedagógica da Seduce, Marcelo Jerônimo, comentaram os conteúdos exigidos dos estudantes em Ciências da Natureza e Matemática.

Estudante da rede goiana, Ana Carolina Araújo Carneiro participou da live. Ela, que deseja cursar Medicina, concordou que a leitura atenta foi fundamental no segundo dia de provas do Enem 2018. Inclusive, destacou uma das dicas do professor Marcão: ir direto ao comando da questão, ao que é pedido, para depois ler todo o enunciado com mais calma. “A leitura influenciou bastante na resolução. Todos que assistiram as dicas do Goiás+Enem na TV se saíram bem”, avaliou.

Os professores destacaram que muito dos conteúdos abordados nas aulas, promovidas pela Seduce e transmitidas pela nova TBC desde maio, integrou as provas do Enem. Exemplo foi a prova de Matemática, em que o tema ‘matriz’, apesar de pouco aparece no Exame, foi apresentado em aulas do Goiás+Enem e exigido dos estudantes neste domingo.

Outra característica importante do Enem 2018: explorar o cotidiano dos estudantes com questões criativas, como a que relacionou conteúdo de Matemática ao jogo Minecraft. O superintendente Marcelo Jerônimo destacou que o Enem teve essa característica. Trouxe temas do dia a dia do adolescente. Aconteceu na prova de Humanas, na parte de Linguagens e agora, e agora em Exatas.

O professor Murilo Ramos comentou a “felicidade” em ver que muito dos assuntos previstos na área de Biologia pelos educadores realmente foram exigidos no Enem. “Falamos da necessidade de estudar ecologia, genética, saúde e foram temas que caíram”, observou. Também ressaltou a característica de uma prova mais interpretativa.

“Quem fez Enem deve ter sentido que essa prova do Enem em particular teve um nível mais fácil do que o visto no ano passado. Isso dá para sentir com muita clareza”, assegurou Francisco Rocha, professor de Física. Teve questões de ‘figurinhas carimbadas’, como potência. “E nós colocamos nos programas do Goiás+Enem que era praticamente uma questão obrigatória.”

Na prova de Química, o conteúdo dos três anos do Ensino Médio estiveram presente, em questões também bastante interpretativas, de poucos cálculos. “Tivemos temas transversais a outras disciplinas, e boa parte dos conteúdos elencados durante as aulas do Goiás+Enem”, enfatizou o professor Diego Rodrigues.

No próximo domingo, 18/11, a Seduce promove a última aula do Goiás+Enem pela nova TBC. Será dia dos professores da rede resolverem as questões do Exame.

Em 2018, o governo de Goiás, por meio da Seduce, investiu alto na preparação dos estudantes para o Enem. Marcelo Jerônimo recorda que foram promovidos diversos projetos, como o Goiás Enem, com aulões realizados em vários polos pelo Estado. O programa alcançou mais de 40 mil estudantes da rede goiana.

Outro projeto de sucesso foi o Goiás+Enem na TV, que repercutiu na internet com live, material e dicas para estudos. “Agradeço ao secretário da Seduce, Flávio Peixoto, pela oportunidade de conduzir projetos com esse. Tenho muito orgulho de ser professor da Educação pública de Goiás e trabalhar com esses professores e colegas espalhados nas 1.100 escolas, que acreditam em você, estudante, que se esforçou para ter sucesso no Enem”, ressaltou Marcelo Jerônimo.

Os vídeos completos com os comentários das provas do Enem (do primeiro e segundo dias) estão disponíveis na página da Seduce no Facebook, acesse aqui.

 

Veja Também

Peleguismo patronal da Adial provoca a maior derrota na história dos incentivos fiscais

A Adial se acovardou e se enveredou pelo chamado peleguismo patronal na queda de braços com Ronaldo Caiado na questão dos incentivos fiscais.
Em vez de esclarecer e mostrar à sociedade a importância inquestionável e os benefícios efetivos da política de atração de indústrias para Goiás, a entidade se encolheu e perdeu a batalha da opinião pública.

O post Peleguismo patronal da Adial provoca a maior derrota na história dos incentivos fiscais apareceu primeiro em Goiás 24 horas.