domingo , 16 dezembro 2018
Home / Cultura / Fogaça abre individual com 22 obras inéditas em São Paulo

Fogaça abre individual com 22 obras inéditas em São Paulo

“Cidade DesConstruída” permanece em cartaz até 12 de janeiro de 2019

Iniciativa tem patrocínio da Lei Goyazes

 

O artista plástico que dedica sua obra a retratar, refletir e revelar a “cidade grande” expõe agora na maior metrópole brasileira. Cidade DesConstruída é o título da individual que o G. Fogaça abre oficialmente no na próxima quarta-feira, 12 de dezembro, no Joh Mabe – Espaço Arte & Cultura, em São Paulo.

A mostra tem 22 trabalhos em médios e grandes formatos com técnica mista sobre tela e mista sobre papel. As obras estão à disposição do público desde o dia 16 de novembro e podem ser visitadas até 12 de janeiro de 2019, com entrada franca. A produção é de Malu da Cunha e a curadoria, de Enock Sacramento.

Para Sacramento, a obra plástica de Fogaça caminha em direção à síntese. “Inicialmente panorâmica e detalhada, sua pintura aproximou-se paulatinamente de seus motivos de tal forma que as obras que ele apresenta nesta exposição, todas inéditas, encontram-se quase no limite da figuração”, avalia o crítico de arte.

Sobre o artista

Gerson Fogaça nasceu na Cidade de Goiás, em 1967. Vive atualmente em Goiânia (GO). Já realizou individuais no Chile, na Espanha, na Bélgica, em Cuba, na Argentina e na Alemanha. Para 2019, tem exposições agendadas em Miami (EUA), Bruxelas (Bélgica) e Cidade do México.

Créditos

Cidade DesConstruída foi contemplada pelo Programa de Incentivo à Cultura – Lei Goyazes, mecanismo de fomento do Governo de Goiás, gerenciado pela Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce). Apoio cultural: Compleite.

 

 

RESUMO

Exposição: Cidade DesConstruída, de G. Fogaça

Abertura: Quarta-feira, 12/12, às 19h

Visitação: até 12 de janeiro de 2019 (segunda a sexta, das 10 às 18h; sábados, 10 às 14h)

Local: Joh Mabe – Espaço Arte & Cultura (Av. Brigadeiro Luís Antônio, 4225 – Jardim Paulista, São Paulo – SP)

Entrada gratuita

Foto: Valdemy Teixeira

 

 

Veja Também

Peleguismo patronal da Adial provoca a maior derrota na história dos incentivos fiscais

A Adial se acovardou e se enveredou pelo chamado peleguismo patronal na queda de braços com Ronaldo Caiado na questão dos incentivos fiscais.
Em vez de esclarecer e mostrar à sociedade a importância inquestionável e os benefícios efetivos da política de atração de indústrias para Goiás, a entidade se encolheu e perdeu a batalha da opinião pública.

O post Peleguismo patronal da Adial provoca a maior derrota na história dos incentivos fiscais apareceu primeiro em Goiás 24 horas.