domingo , 19 agosto 2018
Home / Esporte / Início na ABA e chegada a Seleção Brasileira de Basquete: José Carlos já é realidade

Início na ABA e chegada a Seleção Brasileira de Basquete: José Carlos já é realidade

No último domingo, 5, a Seleção Brasileira de Basquete conquistou o título Sul-Americano sub-21 diante da Argentina, 84 a 76. Dentre os campeões, o ala-pivô José Carlos, mineiro que saiu cedo de seu estado rumo a Goiás, para a cidade de Anápolis, treinando na ABA dos 12 aos 14 anos de idade. Aos 15, foi para São Paulo onde atuou pelo Palmeiras e, na sequência, para o Mogi das Cruzes, onde está atualmente. Agora, comemora a oportunidade de compor o plantel do Brasil.

Leia mais do basquete goiano!

Mesmo assim, lamentou o fato de Gabriel Jaú, do Bauru, sofrer uma lesão no joelho e ser cortado (o que possibilitou sua convocação). Em entrevista ao Esporte Goiano, José Carlos falou um pouco do início de sua carreira e a importância da ABA (Associação de Basquete de Anápolis) na sua construção como atleta e ser humano.

(Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor)

José ressaltou as orientações que recebeu dos seus primeiros técnicos: Moisés, Murilo e Azemar, que sempre o incentivaram a perseverar em seu sonho. O atleta de basquete ainda lembrou das dificuldades que encontrou para praticar a modalidade, comentou sobre a experiência na Seleção Brasileira, objetivo principal na carreira e revelou seu maior ídolo.

Confira a entrevista feita com José Carlos:
1 – Início da carreira
José Carlos: Comecei a jogar por causa do patrão da minha mãe que me levou pra assistir um jogo, na época era campeonato brasileiro de base e assim conheci o Moisés. Me interessei porque todo mundo falava que eu era alto, e gostei da primeira vez que fui treinar. Com isso comecei amar o basquete .
2 – Importância da ABA (Associação de Basquete de Anápolis)
José Carlos: Foi muito importante. Primeiro pelas amizade que tenho até hoje, nunca vou esquecer dos meus primeiros técnicos, Moisés, Murilo e Azemar. Me ajudaram e nunca deixaram que desacreditasse do meu sonho. Por isso levo o nome da ABA onde for.
(Foto: Reprodução/Instagram)
3 – Experiência com a Seleção Brasileira e a conquista do título Sul-americano
José Carlos: 
Foi muito boa. No começo não acreditei que estava na seleção brasileira, mais com o tempo a ficha foi caindo. Claro que foi uma situação chata ver um parceiro (Jaú) se machucar e ficar de fora, mais a vida me deu essa oportunidade e não poderia deixar escapar. E essa conquista do título vai ficar marcada pra vida toda, inclusive queremos fazer uma tatuagem. A conquista também veio porque nossa equipe era muito unida, fechada, uma família mesmo.
4 –  Dificuldades
José Carlos: Minha maior dificuldade foi quando me mudei pra São Paulo com 15 anos. Sou muito família e ficar longe deles foi muito difícil. Pensei várias vezes em voltar pra casa e esquecer essa vida de basquete. Mais como era meu sonho, minha família não deixava eu desistir assim fácil. Também não posso esquecer da Victoria Macedo, minha ex-namorada (hoje é minha amiga). Ela ficou do meu lado nos momentos que minha família estava longe e também nunca deixou eu desistir.
5 – Sonho
José Carlos: Meu maior sonho no esporte é um dia jogar na Europa e dar uma vida melhor para minha família. Abrir um restaurante para minha mãe, que é um grande sonho dela e meu também. Com o esporte é conquistar títulos e jogar uma Olimpíada com a seleção brasileira.
6 – Ídolo
José Carlos: Meu maior ídolo é meu pai (mesmo ele não fazendo nenhum tipo de esporte hahahaha). No basquete, me espelho muito no Kevin Durant, mais como o Durant está meio longe, me espelho muito no Tyrone, meu irmão.

O post Início na ABA e chegada a Seleção Brasileira de Basquete: José Carlos já é realidade apareceu primeiro em Esporte Goiano.

Veja Também

Caiado inventa mais uma fake news e agora tenta queimar o Bolsa Universitária

Não tem fim o apetite de Ronaldo Caiado por fake news. No evento na Cidade de Goiás, neste sábado, Caiado afirmou que na sua gestão o Bolsa Universitária não vai ficar 8 meses atrasado. É mentira. O programa criado por Marconi Perillo e mantido pelo governador José Eliton já contemplou mais de 190 mil estudantes e não está com o benefício atrasado.

O post Caiado inventa mais uma fake news e agora tenta queimar o Bolsa Universitária apareceu primeiro em Goiás 24 horas.