quarta-feira , 17 outubro 2018
Home / Notícias / Goiás / Juquinha das Neves preso na operação O RECEBEDOR

Juquinha das Neves preso na operação O RECEBEDOR

 

PF-MPF-operacao-o-recebedor-coletiva-foto-larissa-quixabeiraO ex-presidente da empresa de engenharia Valec, José Francisco das Neves, mais conhecido como Juquinha das Neves, mais uma vez é alvo de investigação da Polícia Federal por suspeita de irregularidades nas obras da Ferrovia Norte-Sul, no trecho de Goiás. Ele, a esposa Marivone Ferreira das Neves e o filho Jader Ferreira das Neves são alvos de mandados de busca e apreensão da operação “O Recebedor”.

A operação deflagrada na manhã desta sexta-feira (26/2) cumpre em Goiás e em outros seis estados, diligências em busca de provas que corroborem para as investigações das informações concedidas em depoimento pela empresa Camargo Corrêa a partir de acordo de leniência e colaboração premiada com o Ministério Público Federal (MPF).

A operação investiga a prática de sobrepreço, superfaturamento, crimes contra a Lei de Licitações, formação de cartel, corrupção passiva, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro, praticados pela empresa estatal VALEC – Engenharia, Construção e Ferrovias em razão das obras da Ferrovia Norte-Sul.

Segundo informações do Ministério Público Federal, existem indícios da prática dos mesmos crimes com relação à Ferrovia de Integração Leste-Oeste, durante o período em que foi presidida por José Francisco das Neves.

O objetivo da operação desta sexta-feira (26/2) é recolher provas de pagamentos de propina a ex-diretores da Valec, por empreiteiras contratadas para construir as ferrovias Norte-Sul e Integração Leste-Oeste, da prática de cartel e lavagem de dinheiro, revelados pela Camargo Corrêa.

Em razão do acordo, a Camargo Corrêa confessou a prática de cartel, corrupção, lavagem de dinheiro e crimes de licitação. A empresa se comprometeu a restituir aos cofres públicos R$ 800 milhões, dos quais R$65 milhões destinados a ressarcir os danos acusados à Valec.

A empresa entregou às autoridades, provas documentais e testemunhais contra as demais empreiteiras integrantes do esquema, bem como contra o ex-presidente da Valec, José Francisco das Neves. A Camargo Corrêa admitiu ainda haver pago mais de R$ 800.000,00 em propina para Juquinha.

O nome da operação é uma referência à defesa apresentada por José Francisco das Neves no Caso Trem Pagador, quem em 2012, expediu mandado de prisão contra Juquinha, a esposa e o filho acusados de envolvimento em esquema de lavagem de dinheiro enquanto esteve à frente da presidência da Valec, de 2003 a 2010, por meio do superfaturamento das obras da Ferrovia Norte-Sul. Na época, seus advogados alegaram que “se o trem era pagador, Juquinha não foi o recebedor”.

Veja Também

Anúncio de que Caiado vai trazer consultoria e tecnocratas de outros Estados pata mandar em Goiás é mau sinal para funcionalismo público

A notícia da contratação de consultoria e tecnocratas de outros estados para fazer uma auditória na administração para preparar a transição para o futuro governo Caiado é mau presságio para os servidores. Ou alguém já viu uma consultoria ou um tecnocrata sugerindo medidas que beneficiem o funcionário público?

O post Anúncio de que Caiado vai trazer consultoria e tecnocratas de outros Estados pata mandar em Goiás é mau sinal para funcionalismo público apareceu primeiro em Goiás 24 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *