sexta-feira , 21 setembro 2018
Home / Notícias / Goiás / Pesquisa Ibope: Marconi lidera com folga para o Senado

Pesquisa Ibope: Marconi lidera com folga para o Senado

O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) lidera a disputa para o Senado nas próximas eleições com 28% das intenções de votos. Já a senadora, Lúcia Vânia (PSB) aparece em segundo lugar com 24% das menções. Os dados da pesquisa, realizada no Estado de Goiás, entre os dias 7 e 10 de julho, foram divulgados, nesta sexta-feira, 13, pelo Ibope Inteligência, a pedido da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás.

Neste ano, Goiás elegerá dois senadores. O ex-prefeito de Senador Canedo, Vanderlan Cardoso (PP), ocupa o terceiro lugar das intenções de voto com 18%, seguido pelo vereador Jorge Kajuru (PRP), que possui 15%. O ex-senador Demóstenes Torres (PTB) é apontado por 14% dos eleitores, enquanto o ex-secretário Vilmar Rocha (PSB) é mencionado por 10%. O Ibope entrevistou 812 eleitores em todo o Estado. A margem de erro é de 3 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

O ex-vice-prefeito Agenor Mariano (MDB), o senador Wilder Morais (DEM), a empresária Luana Baldy (PP), o policial rodoviário federal Fabrício Rosa (Psol) e o deputado Luis César Bueno (PT) têm até 5% das intenções, cada um.

Na pergunta espontânea para o Senado, os eleitores que não sabem ou não preferem opinar totalizam 48% das menções, ao passo que aqueles que demonstram intenção de votar em branco ou anular o voto são 28%. Dentre os possíveis candidatos, Marconi Perillo confirma também o favoritismo, sendo mencionado por 11% dos eleitores, enquanto que Lúcia Vânia é lembrada por 7%. Jorge Kajuru aparece com 5% das intenções de votos e Demóstenes com 4% e Vanderlan com 3%. Por sua vez, Vilmar rocha é mencionado por 2% dos eleitores, já Agenor Mariano, Wilder Morais e Fabrício Rosa são citados por 1%, cada um.

O post Pesquisa Ibope: Marconi lidera com folga para o Senado apareceu primeiro em Goiás 24 horas.

Veja Também

Demóstenes quer reduzir número de deputados, senadores e acabar com suplentes 

Fazendo cálculos na ponta do lápis, Demóstenes conclui que o Congresso Nacional custou no ano passado 10 bilhões de reais, enquanto as assembleias legislativas torraram mais de 10 bilhões de reais. "Esses valores são o triplo do governo investe na Polícia Federal e na Polícia Rodoviária Federal", assinala.

O post Demóstenes quer reduzir número de deputados, senadores e acabar com suplentes  apareceu primeiro em Goiás 24 horas.