sábado , 19 janeiro 2019
Home / Notícias / Goiás / Talles Barreto responde a acusações sem provas de Caiado contra Agetop, critica personalismo e pede mais ação e responsabilidade do governador

Talles Barreto responde a acusações sem provas de Caiado contra Agetop, critica personalismo e pede mais ação e responsabilidade do governador

Em nota, Talles condenou o calote na folha de dezembro e o pedido de Caiado para que os prefeitos consigam caderninho de fiado para os servidores sem salários e ironizou o anúncio do governador de que pretende mudar a nomenclatura da Agetop. O deputado estadual também classificou de jogada de marketing para desviar o foco da inoperância da gestão, a decisão do governador de leiloar veículos da frota da governadoria para ajudar a pagar as contas do Hospital Estadual Materno-Infantil (HMI).

“Goiás precisa de muito mais ação, de muito menos bravatas e mais responsabilidade nas ações e na postura do governador”, disse o deputado. Leia, abaixo, a íntegra da nota emitida por Talles Barreto.

NOTA OFICIAL DO DEPUTADO ESTADUAL TALLES BARRETO

O governador Ronaldo Caiado (DEM) fez nesta sexta-feira, 11, durante entrevista à CBN Goiânia, acusações irresponsáveis e levianas contra a Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), a diretoria anterior , seu corpo técnico e de funcionários, que, desde a criação do órgão, vem prestando relevantes serviços à população do Estado. Os funcionários da agência vêm conduzindo e pautando seu trabalho com profissionalismo, ética, transparência e honestidade.

Acusações têm de ser feitas mediante provas, obrigação de qualquer cidadão disposto a apresentar denúncia. Se o governador Ronaldo Caiado tem, de fato, conhecimento de atos de corrupção praticados na Agetop, é sua obrigação apontar sobre quais contratos eles ocorreram, quem pagou e quem recebeu propina.

Com acusações sem provas, o governador tenta, sem sucesso, se desviar das cobranças públicas sobre a nomeação de parentes para a presidência e para a diretoria de fiscalização de obras da Agetop. Quer ainda tirar a atenção da população do seu flagrante despreparo na condução do Governo de Goiás, evidente e inegável em apenas 11 dias de gestão.

A inaptidão do governador para o exercício do cargo, reafirmada diariamente, não dá a ele o direito de distribuir acusações sem provas, numa clara jogada para transferir a responsabilidade da ineficiência de sua gestão para terceiros.

A coleção de bravatas, estratégias baratas de marketing e medidas populistas, como a ridícula proposta de leilão de veículos da frota do Estado, não tem efeito algum sobre a já cristalizada percepção pública de inépcia e paralisia da gestão, comprovada pelo calote na folha de pagamento de dezembro dos servidores e pela debochada e humilhante proposta de abertura de fiado para os funcionários do Estado em farmácias e supermercados.

Caiado faz uma gestão personalista, indiferente às demandas dos cidadãos. Em poucos dias de governo, se isolou no gabinete governamental para exercer o poder de forma excessivamente centralizadora. O funcionalismo estadual e a população de Goiás merecem e esperam mais reciprocidade e respeito do governador.

A Agetop transformou completamente a infraestrutura de Goiás nos últimos 8 anos das gestões de Marconi Perillo e José Eliton. Entregou um conjunto de obras de qualidade estratégicas para o desenvolvimento econômico e humano do Estado que ficará para a posteridade. Nesse período, foram investidos mais R$ 8 bilhões na construção e reconstrução de estradas, escolas, unidades hospitalares, presídios e centros para recuperação de menores, equipamentos culturais e esportivos. Obras que foram apropriadas pelos goianos, em todas as partes do Estado, e correm agora o risco de sucumbir sob a gestão inoperante de Ronaldo Caiado.

As licitações dessas obras foram disputadas por empresas de 14 diferentes unidades da federação e o desconto médio registrado nas concorrências públicas, absolutamente transparentes, supera os 20%, representando economia de mais de R$ 1,2 bilhão aos cofres públicos estaduais.

O volume de aditivos nos contratos firmados pela Agetop durante esse período corresponde a apenas 10,3% do valor dos contratos. Na administração anterior, todos os contratos firmados sofreram aditivos de 25%, porcentual máximo permitido pela legislação.

Portanto, é necessário reiterar que, se tiver conhecimento de algum ato de corrupção na Agetop, o governador Ronaldo Caiado tem a obrigação de apresentá-lo aos goianos e às instituições competentes, poupando o Estado de propostas estapafúrdias como a mudança de nomenclatura da agência. Mas, se quiser insistir mesmo na mudança do nome de um órgão que é referência no país e orgulho da engenharia goiana, poderia, dentro do princípio de desprezo e deboche com que está tratando o funcionalismo público estadual, mudar o nome da Agetop para Caiatop, Familiotop, Primotop ou Caiadolandia. Goiás precisa de muito mais ação, de muito menos bravatas e mais responsabilidade nas ações e na postura do governador.

Deputado estadual Talles Barreto (PSDB)

O post Talles Barreto responde a acusações sem provas de Caiado contra Agetop, critica personalismo e pede mais ação e responsabilidade do governador apareceu primeiro em Goiás 24 horas.

Veja Também

Dá pra acreditar? Caiado diz em vídeo que secretária fez revolução na educação em poucos dias

No vídeo em que gravou para desejar "feliz ano letivo" para a rede de ensino, o governador Caiado teve a coragem de afirmar que em poucos dias, a secretária Fátima Gavioli "fez uma revolução na educação". Só pode ser brincadeira de péssimo gosto. Em menos de 20 dias, Caiado e ela fecharam escolas, centro culturais, reduziram carga horária de professores e ainda não pagaram o salário de dezembro. Isso é revolução???

O post Dá pra acreditar? Caiado diz em vídeo que secretária fez revolução na educação em poucos dias apareceu primeiro em Goiás 24 horas.