quinta-feira , 13 dezembro 2018
Home / Notícias / Goiás / Um mês após denunciar roubo de carga na polícia, caminhoneiro é preso no DF com mercadoria

Um mês após denunciar roubo de carga na polícia, caminhoneiro é preso no DF com mercadoria

Um mês após denunciar roubo de carga na polícia, caminhoneiro é preso no DF com mercadoria
Homem responderá por crime de apropriação indébita, comunicação falsa e roubo de carga. Ele disse que venderia em Goiânia (GO) as roupas avaliadas em R$ 400 mil que transportava. Caminhoneiro foi flagrado pela PRF com mercadoria que, segundo ele, havia sido roubada em Santa Catarina PRF/Divulgação Um caminhoneiro de 37 anos foi detido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na noite desta quinta-feira (17) por transportar R$ 400 mil em roupas que, segundo boletim de ocorrência registrado por ele mesmo, haviam sido roubadas há mais de um mês. O flagrante aconteceu no km 13 da BR-060, na região do Recanto das Emas, no Distrito Federal. O caminhão foi parado em uma operação de rotina, em frente ao posto da PRF. Segundo os agentes, o motorista mostrou uma nota fiscal emitida em 5 de maio que não correspondia aos itens encontrados dentro da carroceria: 600 caixas de roupas identificadas, pelas etiquetas, como sendo da empresa Lojas Renner SA. A fraude foi percebida após consulta ao sistema oficial da polícia, que constatou que a carga era produto de roubo, registrado em ocorrência, pelo próprio caminhoneiro, no dia 9 de abril, em uma delegacia de Garuva, no norte de Santa Catarina. Originalmente, a mercadoria iria de Itapoá, no nordeste de Santa Catarina, para a capital do estado, Florianópolis. Em nota, a Renner informou que já está ciente do ocorrido e "tomará as medidas cabíveis" para reaver os produtos. Além do motorista, um homem de 33 anos que estava no no banco de passageiros do caminhão foi detido. À polícia, eles disseram que receberam a carga em Taguatinga, no DF, e deveriam entregá-la em Goiânia (GO). Os dois foram encaminhados para a 27ª Delegacia de Polícia Civil do DF, no Recanto das Emas. Eles responderão por crime de apropriação indébita, comunicação falsa e roubo de carga. Somadas, as penas máximas para os três delitos pode chegar a 14 anos e seis meses de prisão. Boletim de ocorrência Boletim de ocorrência registrado pelo caminhoneiro em Garuva (SC). Motorista foi preso com mercadoria um mês depois, no DF. PRF/Divulgação No boletim de ocorrência registrado em Santa Catarina, o caminhoneiro alegou ter sido abordado por dois homens armados. Os supostos assaltantes teriam obrigado o motorista a ficar no banco de trás do caminhão com um "cobertor na cabeça". Segundo o relato, os supostos bandidos teriam roubado a carreta do caminhão e abandonado o veículo "em alguma estrada de chão que dá acesso a Santa Catarina do porto", durante a madrugada. Aos policiais, o motorista justificou que, "por ser noite e estar muito escuro, não pode informar qualquer característica dos indivíduos". Veja mais notícias da região no G1 DF.

Veja Também

Caiado não vai a encontro sobre Segurança Pública com Moro e demais governadores

Mesmo estando em Brasília nesta quarta-feira, o senador e governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) não compareceu ao encontro entre o futuro ministro da Justiça Sérgio Moro e chefes de Executivo estadual em que foram discutidas medidas e políticas para a Segurança Pública.

O post Caiado não vai a encontro sobre Segurança Pública com Moro e demais governadores apareceu primeiro em Goiás 24 horas.