domingo , 20 janeiro 2019
Home / atlético / Wagner Lopes promete luta pelo acesso até o fim: “Não jogamos a toalha”

Wagner Lopes promete luta pelo acesso até o fim: “Não jogamos a toalha”

O empate com o Avaí na última rodada deixou o Atlético a cinco pontos do G-4 com apenas nove em disputa. As chances de alcançar o sonhado grupo, que dá acesso à Série A, é mínima, mas existem. Mesmo com a matemática jogando contra, o técnico Wagner Lopes ainda acredita em uma arrancada final para garantir o retorno à primeira divisão.

– Nós temos um grupo de homens honrados. Eles vão lutar até o último momento em busca da classificação. Nós não jogamos a toalha. Nós ainda acreditamos. Temos qualidade para buscar essas três vitórias para chegar aos 61 pontos. Infelizmente não dependemos só de nós. Mas no futebol nada é impossível. Matematicamente, ainda estamos na briga. Eu passo para os jogadores acreditarem até o último instante – afirmou.

Treinador deve fazer três mexidas na equipe titular rubro-negra

Para manter qualquer esperança de acesso, é crucial que o Dragão derrote o vice-líder CSA, que pode, já nesta rodada, garantir sua vaga na Série A de 2019. Wagner Lopes sabe que o Rubro-Negro encontrará um ambiente hostil com um estádio lotado e um adversário muito forte. Todavia, lembra o técnico, o Atlético também oferece muitos perigos.

– Nosso time é muito perigoso em várias situações. Quando conseguimos trocar de corredor, invertendo o jogo com rapidez, sempre criamos oportunidades de fazer gol. O exemplo disso foi contra o Avaí, que é uma das defesas menos vazadas. Nós, com velocidade na linha de fundo, ou até mesmo finalizando de média distância, criamos muitas chances. Eu confio nisso e tenho certeza que levaremos muito perigo ao adversário – analisou.

O post Wagner Lopes promete luta pelo acesso até o fim: “Não jogamos a toalha” apareceu primeiro em Esporte Goiano.

Veja Também

Voz das ruas sobre o calote: “Caiado nunca precisou viver de salário e por isso não está nem aí para os servidores”

Estão completamente enganados aqueles que ainda acreditam que a revolta a indignação com o calote salarial promovido pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) e pela supersecretária e primeira-ministra forasteira Cristiane Schmidt (Economia) se restringe aos servidores de bolsos vazios. O debate está nas ruas e, por onde se anda, brotam as críticas contra o descaso flagrante e profundo da administração caiadista com seus funcionários.

O post Voz das ruas sobre o calote: “Caiado nunca precisou viver de salário e por isso não está nem aí para os servidores” apareceu primeiro em Goiás 24 horas.